Uso e abuso dos medicamentos anti-cólicas nos bebés


por Dra Vanessa Azevedo – farmacêutica

Uso e abuso dos medicamentos anti-cólicasAnti-cólicas para bebés

As cólicas surgem habitualmente nos bebés pela terceira semana de vida, manifestando-se por períodos súbitos de choro agudo e persistente, sem causa identificável, em crianças saudáveis.

Estes episódios de agitação são mais frequentes ao fim do dia. As cólicas no bebé podem resultar de diversos fatores como deglutição excessiva de ar, imaturidade gastrointestinal e tensão emocional, resolvendo-se por volta dos três meses de vida do bebé. Para além de uma série de técnicas que podem ajudar a aliviar as cólicas, como é o caso das massagens, existem vários produtos no mercado destinados a aliviá-las. Alguns à base de plantas, cuja função é aliviar os gases e acalmar o bebé, outros com lactase, enzima responsável pela digestão da lactose, que por isso vão facilitar a digestão e diminuir a produção de gases, e ainda outros à base de antiflatulentos, como o simeticone.

Fundamental é perceber que nenhum destes produtos deve ser dado de cada vez que o bebé chora, apenas porque são doces e acalmam o bebé. Sobretudo no caso dos antiflatulentos, é importante ter consciência de que se tratam de um medicamento e que devem ser dados apenas na presença de gases. Antes de colocar as ‘gotinhas milagrosas’ na chucha, deve tentar perceber a real causa do choro do bebé, evitando assim habituar a criança ao sabor doce e sobrecarregar o seu organismo com substâncias desnecessárias.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.