Animais abandonados – perigos e o que podemos fazer


por Dra Vanessa Azevedo e Dra Sara Correia, farmacêuticas

Animais abandonados e os seus perigos

Em Portugal o número de animais que vagueiam pelas ruas é muito elevado, sendo os motivos muito vastos: abandono, animais perdidos, animais já nascidos na rua, etc. É importante perceber que os animais de rua são um veículo de transmissão de doenças e parasitas externos e internos que podem comprometer a saúde pública.

A toxoplasmose é exemplo disto! Esta é uma doença provocada por um parasita cujo nome é Toxoplasma gondii. O gato é importante na transmissão desta doença, porque apesar do toxoplama poder infetar outros animais, o gato é a única espécie que termina o ciclo de vida do parasita, eliminando-o para o ambiente através das fezes. Daí, a água, o solo e os vegetais contaminados podem infetar outros animais. A espécie humana adquire a infeção através da ingestão dos quistos existentes por exemplo na carne mal cozinhada, ou através de água ou alimentos vegetais contaminados pelas fezes de gatos infetados. Assim é crucial que se adotem medidas preventivas, como a lavagem adequada de todos os alimentos, principalmente frutas e verduras.

Esta é uma doença que não se transmite de pessoa para pessoa e cujos sinais clínicos são muitas vezes assintomáticos. Quando sintomáticos caracterizam-se por fadiga, mal-estar, dores no corpo e inflamação ocular.

Se para a pessoa comum esta doença não é grave, durante a gravidez é bem diferente, pois apesar de para a grávida não ter consequências, a infeção da placenta e a subsequente infeção fetal podem causar lesões graves no feto. Atendendo à potencial gravidade desta situação para o feto, todas as mulheres grávidas ou que pretendam engravidar e não apresentem imunidade para a toxoplasmose, devem ser aconselhadas sobre os cuidados a ter para evitar a infeção durante a gestação.

Assim, se encontrarmos um animal abandonado, a prioridade será tentar recolhê-lo para evitar que propague doenças, e promover a sua vacinação e esterilização. Se o animal não tiver uma placa de identificação, deve ser levado a uma clínica veterinária para verificar se tem microchip de identificação – a verificação é gratuita em qualquer veterinário. Se não obtiver nenhuma informação acerca dos possíveis donos do animal, deverá tentar acolhê-lo ou encontrar alguém ou alguma clínica veterinária que o possa acolher temporariamente enquanto tenta localizar os responsáveis pelo animal.

Depois de o animal estar recolhido e em segurança, pode publicar-se um anúncio do animal encontrado em www.encontra-me.org, que disponibiliza automaticamente um folheto de divulgação para imprimir e afixar nos locais apropriados. Verifique também se o animal se encontra na base de dados de animais perdidos. Se não for contactado num período razoável de tempo, pondera-se a hipótese de adoção do animal. O mais importante será sempre garantir a segurança dos animais e de todos nós!

Mais informação em www.encontra-me.org.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.